FALANDO SOBRE ANSIEDADE

ansiedade

Pesquisas recentes mostraram que o Brasil é um dos países mais ansiosos do mundo. Isso é extremamente preocupante se pensarmos nas possíveis consequências na saúde pública do país. É necessário que se pense em estratégias que foquem na saúde mental, pois a população está propensa a ficar cada vez mais adoecida.

No entanto, é importante entendermos que nem toda pessoa que está com ansiedade possui transtorno de ansiedade (transtorno do pânico, fobia específica, transtorno obsessivo compulsivo, fobia social, dentre outros).

A sociedade tem cobrado padrões cada vez mais altos. Exige-se que sejamos altamente equilibrados (as), focados, que tenhamos corpos esculturais, e profissionais perfeitos (as). Tudo baseado no “sempre”! Isso vai atingindo a imagem que o indivíduo tem do outro e de si mesmo. A consequência é a diminuição da autoestima e o aumento da sensação de inadequação.

A ansiedade é natural do ser humano e nos protege alertando-nos dos perigos. Por si só ela não é ruim! Natural então, sentir medo (fator real e palpável), mas quando o estímulo é subjetivo falamos de ansiedade.

Não senti-la pode causar atitudes negligentes e pouco preparo para situações relevantes que exigem bons resultados, como por exemplo, ter que falar em público, fazer uma prova, ir a uma entrevista de emprego ou conhecer alguém.

Todas as pessoas ficam nervosas, estressadas e ansiosas de vez em quando. Lidar com o incerto e não estar sempre no comando traz a sensação de que algo nos ameaça. Preste atenção se a sua ansiedade aparece de forma frequente e intensa. Geralmente as pessoas que sentem ansiedade nesse nível estão tão acostumadas a sentir as emoções de forma exagerada, que nem percebem que já estão com um transtorno.

Se isso ocorrer prejudicando-o no âmbito profissional ou pessoal, procure um profissional de psicologia para trabalhar as questões que o (a) levam a esse quadro.

Os sintomas mais comuns são medos irracionais, sentir-se inconveniente, lembranças ruins, preocupação/perfeccionismo, insônia, tensão muscular e dores. Entenda melhor aqui

A ansiedade patológica provém do excesso na autoavaliação e na avaliação dos riscos. É comum a pessoa entrar em conflito consigo mesma por achar que deveria estar calma, se culpando por sentir ansiedade O problema é que ao não aceitar que naquele momento você está ansioso (a), esse conflito acaba por aumentar ainda mais a sensação de inadequação.

Importante entendermos que existem fatores de risco que podem desencadear em transtorno de ansiedade. Por exemplo, acúmulo de estresse, evento traumático em algum momento da vida, abuso de álcool e outras drogas, etc.

Então reconheça os seus limites, trabalhe a autoestima, aprenda a dizer não, identifique as suas habilidades e use-as quando necessário, veja o lado bom das coisas, não se cobre demais, pense coisas boas e as pratique, faça atividade física, faça terapia se preciso for, o importante é trazer de volta a sua qualidade de vida. Portanto, tenha paciência para esperar os resultados e planeje os seus objetivos de maneira objetiva.

Espero ter podido contribuir a respeito da ansiedade. Sinta-se a vontade para contar a sua experiência.

Um forte abraço!

TALVEZ VOCÊ QUEIRA VER TAMBÉM

3 formas de controlar a ansiedade sem precisar de remédios – http://www.nursing.com.br/ansiedade-sem-remedios/

O que é ansiedade e porque ficamos ansiosos – http://www.ansiedade.com.br/transtornos/ansiedade/

Ansiedade: 13 sintomas que merecem atenção – http://www.vittude.com/blog/ansiedade/

Ansiedade boa: use a ansiedade a seu favor – http://www.psicologosp.com/2013/06/ansiedade-boa-use-ansiedade-ao-seu-favor.html

 

Anúncios

2 comentários em “FALANDO SOBRE ANSIEDADE

  1. Trata-se de um problema com extrema dificuldade de controlar, pois, por um lado temos que tentar não exagerar na auto-cobrança e na resposta à cobrança da sociedade. Por outro lado, se negligenciarmos as nossas capacidades de realização, também poderemos ter ansiedade no futuro por não termos desenvolvido o nosso potencial em sua capacidade plena ou sub plena. O segredo, e ao mesmo tempo a dificuldade, é manter este equilíbrio.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s